sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Avatar Colaborador Nerd

O que a série Call of Duty: Modern Warfare fez pelos jogos de FPS

Por Paulo Gomes, do blog Efemeramente Irresponsável

 

image

Já não sou nenhum menino mas também ainda não sou um ancião, carrego na idade o fatídico número 23 de Jim Carrey. Lembro-me como se fosse ontem quando ganhei meu primeiro PC, e meu primo mais velho veio com DOOM em vários disquetes para instalar. Foi minha primeira experiência em jogos FPS (First Person Shoot), pois quando mais novo meus pais achavam que jogos violentos não seriam uma boa influência. Deixando de lado essa visão antiquada já tanto discutida aqui no blog, o fato é me apaixonei, pelo simples fato de que a perspectiva me fazia acreditar que era eu a atirar, não via um boneco correndo e pulando jacarés, não via pequenos pixels jogando jo-ken-po, não, nada disso, eu via apenas o cano de minha arma arrancando cabeças, explodindo monstros e claro, eu mesmo sendo arrebentado.

O tempo passou, não me tornei nenhum assassino de aluguel, não me alistei na legião estrangeira francesa e nunca peguei numa arma de verdade, meu antigo PC virou sucata, e na família Playstation segui com minha fascinação pelos FPS. Joguei muito, mas muito CS (Conter Strike) nos PCs da lan House da minha vila, numa época em que banda larga e PCs potentes não eram uma realidade palpável, mas foi MoH (Medal of Honor) que tornou-se minha série predileta, e apesar do respeito existente por outras séries como o ASPIRANTE CoD (Call of Duty) e o Killzone eu não abandonava a EA (Eletronic Arts) e seu MoH.

Mas o boom das lan houses acabou, jogar Conter Strike na internet era limitado devido a muitos servidores piratas onde hackers utilizavam de cheats e uma falta de renovação desgastou o espírito que fora tão revolucionário.

 

Eis que em novembro de 2007 a Activision, através da Infinity Ward, lançou Call of Duty: Modern Warfare. Com um número singelo de vendas superior a 13 milhões de cópias, ele mudou o conceito de FPS para mim e para o mundo de videogames da atual geração. Ele trouxe as guerras modernas para o mundo dos videosgames, até então dominados pela II Guerra e alienígenas gigantes. Os gráficos aprimorados, armas realistas, táticas de guerra, uma inteligência artificial mais refinada, e uma sensação de temor real, o jogo envolve por sua dificuldade e adrenalina, sim, jogue no VETERANO e tente dar uma de Rambo para ver se você passa da primeira fase.

Outro ponto muito aprimorado foi o multiplayer, a evolução das patentes de guerras, os títulos, emblemas, habilitação de armas, killstreaks, pode-se dividir o jogo entre o mundo offline e o mundo online. Depois do CoD MW, joguei Resistance Fall of Men 1 e 2, Killzone 2, e o CoD World at War, e dentre todos eles o único que não me desfiz foi o MW. Após dois anos é lançado Call of Duty: Modern Warfare 2, apesar das excelentes críticas, recebeu árduas reclamações por ser uma cópia pouco mais aprimorada que o primeiro. Mas os números só mostram que se for em dobradinha é ainda melhor:

 

· Gerou $550 milhões durante os cinco primeiros dias de venda.

· Mais de 2 milhões de usuários na Xbox Live. Veja esse artigo sobre a putaria banimento da Live feito pela Microsoft.

· Mais de 5 milhões de horas de jogo multiplayer. Xbox Live.

MW 2 causou muita polêmica seja pelo banimento já citado e pela debandada dos funcionários da Infinity Ward, veja mais aqui e aqui. Sim, isso me dá medo pelo que virá em MW 3. Semana passada chegou em casa o novo Medal of Honor, que a EA declarava ser o concorrente - e porque não, substituto de MW2 - tal qual a curta duração do jogo será minha dedicação à essa declaração, BULLSHIT. O jogo melhorou muito em relação ao seu antecessor, o modo online é bom, e apenas BOM, mas limitado em muitos aspectos e a verdade é, com pouco mais de 4 horas numa madrugada de insônia terminei-o e já o vendi.

Dia 09-11-2010, saiu o Black Ops, pelos vídeos que vi na internet novamente não irá se equiparar e muito menos superar a linhagem Modern Warfare, vou alugá-lo e torcer para que compense os reais gastos, a realidade é só uma, continuo com meu MW2 até que os jovens nerds insanos ex-escravos não bonificados ex-funcionários da Infinity Ward lancem outro FPS por outra produtora.

Finalizo com o nome da primeira missão do MW2:

S.S.D.D. (Same Shit, Different Day)

9 Comentaram...

ThiagoDahlua disse...

Realmente, COD:MW se tornou um game revolucionário em FPS mas não foi o primeiro a adotar a atualidade com cenário de guerra. Battlefield 2 em 2005 foi o primeiro FPS de WWII que mudou o fundo, e não fez tanto sucesso compaarado à outros games. O que os caras da Infity Ward decobriram foi personagens e suas próprias histórias, coisa que nem todos MoH tiveram e muito menos Battlefield. Desde o CoD2 os jogos da série tem se enriquecido com personagens e tramas em seu enredo e é esse o principal fator que faz milhões de fãs continuarem a série.

Vgas disse...

Caro Colaborador Nerd, Jogue Battlefield e diga para nós qual a experiencia em relação MW2.

Rodrigo disse...

CoD Modern Warfare > CoD Black Ops> CoD World at War > CoD Modern Warfare 2

Comprei Black Ops e não me arrependo de maneira alguma. História incrível, Multiplayer (diferentemente de MW2) balanceado e mais "comunitário"/interativo, Zombie Mode de volta... Fora alguns erros que acredito serem temporários (como o jogo ter default setting como se você tivesse um processador de apenas 1 core quando os requisitos mínimos são processadores de 2), o jogo é incrível.

Paulo Roberto [Em Paralello] disse...

Para mim o melhor até agora da série Battlefield é o Bad Company, as armas com o som bem característico e a interatividade com os cenários bem bacanas.

O MW tem uma excelente história bem como os gráficos, mas na minha opinião peca um pouco no quesito interatividade com o cenário e o "barulho" dos tiros não são tão reais como os do Bad Company, mas ao final tanto um quanto o outro cumprem seus objetivos.

Thiago Dorneles disse...

"Eis que em novembro de 2007 a Activision, através da Infinity Ward, lançou Call of Duty: Modern Warfare.(...)Ele trouxe as guerras modernas para o mundo dos videosgames, até então dominados pela II Guerra e alienígenas gigantes."

O que eu quis dizer é que BF2 saiu em 2005 e ele sim trouxe as guerras modernas. MW em relação ao BF2 tem história e é isso que faz ser melhor. se não fosse isso, seria um "super counter-strike".

Francesco Mgz disse...

O melhor feito até agora foi o de ter colocado Castro no jogo, esta sim é a melhor parte :)

Daniel disse...

Fala Paulo,

Nao joguei COD, mas sou feliz jogador de Battlefield Bad Company 2. Você experimentou a série BF na sua odisséia de FPS? Para mim a mecânica de escolha de Kits foi absolutamente genial e mudou mt a história dos FPS também. O que vc acha sobre o assunto? ABs

Joelma Alves disse...

Eu tinha desistido dos jogos de guerra até jogar MW2.Ñ entendia a dificuldade que essas empresas tinham um botar uma historinha (podia ser meia-boca) nos jogos. Gostei tanto da história do Capitão "Soap" Mactavish, q dpois de jogar MW2,comprei o MW1 e tô esperando ansiosamente pelo 3º!

Pedro disse...

Sou viciado em jogos estratégicos de guerra. Criei há pouco tempo a minha conta no game online Desert Operations e já tô frenético! É de graça e não precisa baixar nada. Quem tiver aliança pra indicar me avisa. Pra quem não conhece, segue o link www.desert-operations.com.br/?rid=913

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo