quarta-feira, 10 de março de 2010

Avatar Colaborador Nerd

"A escola me fez pensar que a literatura nacional era um pé no saco e o RPG me fez ver que a literatura européia era pouta legal."

Por Gabriel Radd

 

image

A frase que usei como título deste post foi cunhada pelo meu amigo Ásbel. E, vale a pena dizer, a verdade nela contida também se aplica à minha pessoa.

Eu, como mestre de RPG, procuro ler obras relacionadas aos temas de minhas campanhas. Assim, eu descubro novos detalhes sobre o cenário e ainda crio algumas idéias para a minha narrativa. Foi assim que descobri O Senhor dos Anéis, O Ciclo da Herança e outros livros fodásticos.

Porém, quase toda minha experiência com literatura brasileira se resume às aulas de literatura. Aulas que, aliás, são extremamente entediantes. Os professores não possuem carisma algum (o meu professor de literatura do ensino fundamental, por exemplo, era um sósia esquizofrênico de um personagem d"A Praça É Nossa"), os livros não possuem graça alguma... A verdade é esta: salvo Machado de Assis, a literatura brasileira clássica é um tremendo pé no saco.

Não digo isto pelo uso excessivo de palavras incomuns ou pelo excesso de detalhes em suas descrições. Fiódor Dostoiévski e J. R. R. Tolkien, por exemplo, se utilizam, com frequência, respectivamente, de palavras incomuns e passagens exaustivamente descritivas. Suas obras, contudo, não são, de modo algum, chatas. O que eu quero dizer é que os autores brasileiros clássicos (salvo, mais uma vez, Machado de Assis) não conseguiram criar livros estimulantes, daqueles que você começa a ler e só fica satisfeito quando termina. E, mesmo assim, ainda somos obrigados a lê-los por um sistema educacional ridículo, que condena pais que só querem o melhor para seus filhos. Revoltante, não?

34 Comentaram...

Joelma Alves disse...

Generalizar a literatura nacional clássica assim é meio perigoso,né...Eu acho q o problema msm está na abordagem q as escolas fazem,obrigando logo os alunos a lerem os clássicos dsd o começo...Podiam começar com Pedro Bandeira e Marcos Rey,por exemplo.Qndo o aluno tivesse uma maior 'maturidade literária',não seria tão difícil gostar dos clássicos.
Mas,talvez eu diga isso pq meu professor de literatuira era um escritor-cabeludo-doidão-q-gostava-de-heavy-metal...

Gringo disse...

Revoltante é condenar toda uma literatura por causa de uma má experiência na infância.

O sistema educacional brasileiro, por mais falho que seja, talvez seja a única oportunidade para diversos jovens (pobres ou não) terem contato com obras como "O Guarani".

É difícil dar credibilidade ao seu texto quando o único argumento contra a literatura brasileira é algo tão pessoal como ser "um tremendo pé no saco".

Termino dizendo que grande parte da literatura brasileira é focada em conflitos psicológicos e emocionais, e isso precisa de maturidade e reflexão para ser aproveitado em sua totalidade.

Mauro Borba disse...

Alinho-me ao comentário do Gringo. Parabéns!

Quanto ao autor desse post: arrotar ignorância é dose... Eu simplesmente não acredito que coloquei um blog onde se escreve esse tipo de coisa nos meus Favoritos. Os nerds todos estão morrendo de vergonha. Se um "civil" (não-nerd) entra aqui desavisadamente vai achar que todos os nerds são assim, olha só o perigo!

O que você considera "literatura brasileira clássica"?
ora, o Senhor dos Anéis está longe de ser "literatura inglesa clássica". E colocar Tolkien e Dostoieviski lado a lado só por causa do suposto uso de palavras incomuns (??? Você saber russo para saber se o Dostoievski usava palavras incomuns ou está pressupondo isso pelos tradutores?) e descrições excessivas dá vergonha alheia. Só ressalta o quanto você não conhece de literatura e ponto - seja brasileira ou não, seja clássica ou não.

Se você não curte literatura brasileira, isso não é culpa da escola. Essa desculpa é velha. Até parece que um adulto inteligente e bem informado não é capaz de passar por cima das bobagens que são ensinadas na sala de aula e procurar, em determinada arte, aquilo que realmente é bom e interessa. Se você permaneceu inerte, e deixou que um sósia do Zé Bonitinho influenciasse você com tamanha força, só tenho a lamentar sua anemia intelectual.

Criticar toda a literatura brasileira e não citar nenhum outro nome além de Machado de Assis só evidencia que você está falando sobre algo que absolutamente desconhece. E criticar algo que ignora é sinal de indiscutível tolice.

Mauro Borba disse...

"Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente", diz o recado na parte de comentários. Pois então eu digo:

Mostre que é nerd e escreva um post minimamente inteligente!!!

Costelinha Burn disse...

Bem... eu também não gosto da literatura brasileira que nóz fazem ler no colegial.
Porém, isso é um (des)gosto pessoal, e não acredito que a lit. brasileira seja ruim! Muito pelo contrário! Os temas podem não ser atraentes para muitas pessoas como os livros de Tolkien (que por sinal, a história é ótima, mas a leitura eu considerei muito chata!)! Alias, Pedro Bandeira com os Karas, uma história muito bom e bem mais perto da realidade que muitos livros por ae, uma sequencia de 4 livros se não me engano, que motiva muito os jovens a ler, por ter uma leitura fácil e divertida.
E a falta do hábito de leitura não pode ser totalmente culpa do sistema educacional ou de professores, mas também do pais, que queira ou não, são nossos primeiros professores!
Acho o NSN muito bom, porém, acho que esse post foi um pouco equivocado.
Mas de qq forma, parabéns pelo NSN.

Rápido disse...

"Porém, quase toda a MINHA experiência com literatura brasileira se resume às aulas de literatura. Aulas que, aliás, são extremamente entediantes. Os professores não possuem carisma algum (...), os livros não possuem graça alguma... A verdade é esta: salvo Machado de Assis, a literatura brasileira clássica é um tremendo pé no saco.

Palavras suas. Se você mesmo admite que conhece pouco, como execrar a produção literária brasileira? Contraditório, não é? Quando eu estava no Ensino Médio e não gostava de um autor ou de um livro recomendado eu virava e dizia ao professor ou âos meus pais "não gostei deste, tem outro diferente?". Funcionava bem comigo. E o que você define como literatura clássica brasileira? E outra, dizer que as obras brasileiras são chatas é pegar pesadíssimo. José de Alencar, por exemplo, foi um dos meus favoritos na adolescência ("Senhora" e "Menino de Engenho" foram ótimos e continham histórias incríveis para a época em que foram escritos) e foi um inovador.

Note que você está fazendo a mesma coisa que os seus professores chatos do colégio faziam em vez de ajudar a molecada antenada neste blog a tomar gosto pela leitura. Em vez de reclamar e dizer o que não é bom, procure conhecer e relate o que você acha bom. Os nerds agradecem.

Mandos Fëantur disse...

O problema da literatura brasileira não é a qualidade dela. É ela ser ensinada por pessoas que salvo raríssimas exceções não gostam do tema sobre o qual estão tratando, e forçada sobre jovens que muitas vezes ainda não estão preparados para ela. Tive a sorte de ter uma professora que era apaixonada pelo tema, e falava com gosto sobre obras como Senhora. Apesar disso, ela não nos forçou a ler nada disso obrigado para a escola, ou para o vestibular. Isso permite que hoje eu possa apreciá-los de verdade. Um dos melhores livros que li ano passado foi Sagarana do João Guimarães Rosa, e isso em um ano no qual também li muito Bernard Cornwell e Neil Gaiman. Além disso, concordo totalmente com quem disse que leitura começa em casa (ao menos como regra geral). Existe uma frase famosa que resume isso "os leitores são formados no colo dos pais".

Felipe disse...

Concordo com Mauro Borba e Gringo.

O único blog que utilizo meu escasso tempo para ler é o NSN, mas esse post foi completamente equivocado. Percebi uma expansão no número de colaboradores, mas sugiro uma melhor seleção dos mesmos.

Só deixando aqui gravado, para os fãs de RPG que gostam de ler um bom livro, sugiro Noite na Taverna,Álvares de Azevedo.

Quanto a outras obras que quando se começa não quer mais parar de ler leiam Macunaíma, Um Manicaca, Os que bebem como os cães, só para citar alguns.

Panthro Samah disse...

O problema da literatura brasileira são as aulas de literatura brasileira. E não devido ao carisma dos professores, mas da idéia das aulas.

A idéia básica por trás da forma que a literatura é ensinada é muito simples: São apresentados os movimentos estéticos e se lê um exemplar de cada um. Assim, vai se falar da primeira geração romântica, uma cópia tosca e mal lavada do romantismo importado, e se lê Iracema, um livro INSUPORTÁVEL, que nem um ser humano leria por prazer ou elencaria como bom se não fosse por seu valor histórico.

E aí se segue fazendo isso. Ninguém está preocupado se os livros são bons. Ninguém está preocupado se eles são interessantes ou se vão despertar o amor pela leitura nas pessoas. Se não, Pedro Bandeira e Marcos Rey, como disseram, seriam muito mais lidos que Harry Potter. Na verdade, o estilo é mais similar com o do Código daVinci, com aquela coisa dos ganchos ao final dos capítulos... Mas, enfim! Monteiro Lobato não é estudado porque literatura infantil não é considerada em movimentos históricos, é vista como inferior. Autores fantásticos como Clarice Lispector (te amo, beijos) ou Marcelo Rubens Paiva são completamente ignorados por não fazerem parte de nenhum movimento histórico. Se estuda HISTÓRIA DA LITERATURA, não APRECIAÇÃO LITERÁRIA. Por isso que fica uma merda.

Eu acho que estudar história da literatura é bacana. Mas mais legal ainda é estudar apreciação literária. Reconhecer traços num livro (como a narrativa fantástica da cena da festa que o Chico Buarque faz em Budapeste) é muito mais importante, do que saber quais os traços do quinhentismo (QUINHENTISMO!! O "movimento" foi tão estupidamente vazio de significado que deram o nome do século pra ele).

O que se consegue com a abordagem atual? Nada. Um monte de conhecimento enciclopédico e um ódio vazio pela produção literária. E nisso o Gabriel está certíssimo: O RPG faz muito mais gente ler do que as aulas de literatura. E não só o RPG. O cinema, os quadrinhos e as séries têm o mesmo efeito. Reeditaram O Senhor das Moscas por conta de Lost. Só que tudo literatura estrangeira. Algumas vezes de qualidade (Clube da Luta é fantástico) outras extremamente questionáveis (Código da Vinci é tão tosco que me dá vergonha. Me lembra o frenesi que teve em cima do Operação Cavalo de Tróia, outro título completamente overrated).

E pra quem quiser conhecer livros brasileiros clássicos e muito bons eu aconselho Vidas Secas (se vc gosta de George Orwell vai gostar desse - não, não é uma distopia, estou falando de estilo) e Capitães da Areia. São clássicos e são fantásticos.

PS - Odeio Senhora. Total novelinha. Já foi tão revisitada que o original parece cópia. E acho Machado de Assis muito overrated também. Os contos são na maioria bons e Memórias Póstumas é ótimo, mas o resto é beeeeem chatinho.

Panthro Samah disse...

Ok, eu escrevi meio que demais. Eu gosto de livros, me processem

Anônimo disse...

Concordo com o tópico. A literatura clássica que os alunos hoje tem que ler para o vestibular é um pé no saco. E desestimula a leitura.

Nathan disse...

bem, o Mauro Borba disse praticamente tudo o que ainda não tinha pensado para escrever mas já tinha resumido no meu "desacreditei nesse post, véi!", depois de ler todo esses argumentos afetados.

desculpe, sem ofensas, vocês tinham minha atenção a um, dois anos atrás, mas a qualidade do site não me acompanhou até agora.

Bolowors disse...

Pessoalmente comecei a desenvolver meu gosto pela leitura com livros nacionais. Meus primeiros foram: "Meu pé de laranja lima" e "Rosinha minha canoa" (são bem chorosos eu sei, mas eu adorava o lado fantasioso da história), ambos de José Mauro de Vasconcelos. Atualmente livros estrangeiros tem conquistado mais a minha atenção, o único livro nacional que tenho interesse de ler é "A batalha do apocalipse" de Eduardo Spor (acho que é assim o sobrenome dele). Também não penso que toda a literatura brasileira seja ruim, e o amigo Panthro Samah disse tudo, os professores em sua maioria empurram porcaria goela abaixo dos alunos (digo porcaria baseado em minha opinião de merda). Eles em sua maioria não tem o hábito de ler e colocam essas obras representantes de cada movimento literal em um pedestal, sem criticar toda a merda contida na maioria desses livros. Assim o aluno olha pra essa palhaçada, pensa que leitura é coisa de maluco e cresce um adulto com a mesma opinião. E pra finalizar, gostaria de dizer que Machado de Assis é boring, nunca vi uma escola que não tente obrigar o aluno a ler aquela choradeira de corno chamada "Dom Casmurro". Respeito quem gosta, ainda mais se não estiver mentindo pra posar de intelectual, mas cara... Eu odeio esse livro!

Fernando disse...

Acho que a questão é saber procurar. Macunaíma, do Mário Andrade, apresenta conceitos fantásticos e bem interessantes. O Grande Sertão Veredas, do Guimarães Rosa, apresenta uma linguagem inovadora.

Procure o conto "Demônios", do Aluízio de Azevedo, não deixa nada a desejar para contos de fantasia e horror do pessoal estrangeiro

Panthro Samah disse...

"pra finalizar, gostaria de dizer que Machado de Assis é boring, nunca vi uma escola que não tente obrigar o aluno a ler aquela choradeira de corno chamada "Dom Casmurro". Respeito quem gosta, ainda mais se não estiver mentindo pra posar de intelectual, mas cara... Eu odeio esse livro!"

Assino embaixo.

E Aluízio Azevedo é do cacete. Eu ponho fácil junto do Edgar Allan Poe. Macunaíma eu nunca li. É muito difícil pra mim comprar um livro escrito por brasileiro. E olha que eu leio compulsivamente, 4 livros por mês. Ranço das aulas de literatura. Você começa a ter dificuldade de separar o que é bom do que é elogiado por um ufanismo debilóide que sobrou da ditadura.

Retty disse...

A questão não é a literatura brasileira(que é do caralho) mas sim as aulas de literatura. Estou no último ano da escola e só agora estou tendo uma aula de literatura que posso dizer honestamente, que é muito boa.
Acredito que seja pra dizer que a juventude lê, mas esse esquema de MANDAR ler tal ou tal clássico da literatura brasileira como tarefa de casa, desestimula qualquer um. Nos últimos dois anos, por exemplo, mandaram-nos ler dois livros do Machado de Assis(Dom casmurro e Memórias póstumas(...), dois que eu gosto muito), mas por ser tarefa de casa, saber que a professora iria fazer perguntas de gramática e interpretação de texto (daquele jeito que professores têm, de inventar uma interpretação e negar todas as outras interpretações possíveis) sobre o livro, eu me senti sem a menor vontade de ler aqueles livros.
Talvez o "ter de ler" funcionasse, se os professores soubessem fazer os alunos se interessar. Mas fica difícil quando não acham uma maneira de fazer o jovem se sentir atraído pela história.

Teilor disse...

Eu não poderia estar mais em desacordo com a sua opinião emrelação ao Machado de Assis.

Mais chato que Machado de Assis só bula de remédio. Acredito sim que existem escritores clássicos brasileiros que valem a pena, um bom exemplo é José de Alencar e seus romances indianistas.

Olethros disse...

Nossa... há muito que não leio um post tão ruim, este blog está pior a cada dia...

Paulo disse...

Assim não da, esse blog cai mais e mais. Concordo que a forma como a literatura brasileira é mostrada nas escolas afaste muitos possiveis leitores, mas peraí. Isso não significa que a literatura nacional seja ruin, Dostoiévski é um grande escritor mas Guimarães Rosa é muito melhor que J. R. R. Tolkien.

Glaurus disse...

Bom... Pra começar eu nao gosto muito de criticas agressivas, como a maioria do pessoal gosta de fazer pra mostrar seu vasto conhecimento. Eu já li desde Guerra e Paz, que é calcado em psicologia de personagem e etc como disseram acima que sao os romances Brasileiros, Tolkien, os classicos da literatura mundial e alguns Brasileiros.
Sinceramente gosto de cada um por um aspecto, e concordo com o post, Literatura Brasileira nao estimula muito um jovem a ler e a gostar, que acho que é esta a critica do post do BLOG. Estamos em um blog onde é uma midia de opiniao de autor.

crazyseawolf disse...

A literatura nacional é um saco, e isto é um fato. Eu nunca teria um gosto pela leitura se ela me fosse apresentada antes, por isso agradeço a Tolkien, Stan Lee, Carl Barks, Alan Moore, Richard Bach, e tantos outros por terem estado comigo desde criança.
Eu entendo o que o autor do artigo quis dizer e o apóio totalmente.
Opinião é para ser respeitada.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

VocÊ acha Machado de Assis estimulante? Eu detesto. NA verdade nunca li nada pré-sec. XX que não me fizesse dormir ou ter ódio por perder meu tmepo.

Velho da Montanha disse...

bem, primeiro quero dizer que o Tsavkko, ai de cima, que é o maior esquerdista vivo, dizer que nunca leu nada pré sec XX me assusta, entao o cara nao lê nada mesmo, só panfleto do PT e O jornal lance, mas o Presidente Mula diz que nao gosta de ler, entao seus discipulos seguem o mesmo caminho.

Mas voltando ao post,primeiro quero resSaltar um velho clichê

quantidade é mais importante que qualidade né?

ops errei, é o contrario

entao de que adianta uma quantidade enorme de pequenos posts de "colaboradores nerds" so pra fazer numero pra depois o editor do blog dizer "nos atualizamos tres vezes por dia, 100 vezes por mes e tal" se esses posts são ruins?

acho melhor que o blog tenha menos "colaboradores néscios" e mais qualidade, mesmo que o numero de posts seja menor

eu tive oitenta posts no meu blog em um ano e tentei fazer que todos tivessem qualidade, isso é que é importante.

agora sobre o post em si, é totalmente equivocado

primeiro leva em consideração o gosto pessoal do cara, e nao contextualiza

nossa cultura hoje é voltada para o genero fantastico, dificilmente um nerd vai gostar de um livro que fala de um cara que pensa que é corno, a nao ser que o chifre dele o faça ser vitima de uma conspiração internacional ou o faça ir para outra dimensão lutar contra seres inominaveis alienigenas.

nós gostamos do fantastico, da aventura, do morbido, da fantasia, fomos educados para isso, pelos Rpgs, filmes americanos, gibis..

nos EUA estuda-se Edgar Alan Poe nas escolas, ainda no ginasio, foi ai que começou tudo, a Europa tem a rica tradição dos contos de fadas, dos irmaos Grimm e tudo, mas a literatura brasileira nao absorveu isso, nosos escriore classicos vão mais pelo lado do social, do psicologico, isso nao nos atrai.

existem bons escritores brasileiros, a coleção vagalume é muito boa, quem teve infancia sabe, existem bons poetas tb, como Augusto dos Anjos, Alvares de Azevedo, Castro Alves.

Hoje existem escritores de ficção cientifica e horror, a companhem o site Scarium, o blog Bliblioteca mal Assombrada que vcs vao ver.

Lourenço Mutarelli lançou romances interessantes, tem o Daniel Galera, que pode se interessante pra alguns, mas em termos de literatura classica não será interessante para pessoas que se dizem "merds"

mesmo assim, eu li Machado aos oito anos, junto com Poe, e guardo imagens dos dois escritores na minha mente, memorias postumas de bras cubas é um otimo livro

nao da pra chorar pelos classicos, mas se atualizar é bom

COLABORADOR DESPEDIDO

Rafael disse...

"entao de que adianta uma quantidade enorme de pequenos posts de "colaboradores nerds" so pra fazer numero pra depois o editor do blog dizer "nos atualizamos tres vezes por dia, 100 vezes por mes e tal" se esses posts são ruins?

acho melhor que o blog tenha menos "colaboradores néscios" e mais qualidade, mesmo que o numero de posts seja menor"

Eu assino embaixo. Outro dia, passei 2 dias sem abrir o feed, quando atualizei; tinham 12 ou 13 posts, 80% vagos e vazios, assuntos sem nexo e, como no caso acima, opiniões infundadas e sem qualquer embasamento. Gostava mais quando era 1 ou 2 posts por dia, daqueles que davam gosto de ler.

Velho da Montanha disse...

Mostre que é merd e faça um post estúpido.

Anônimo disse...

Literatura brasileira normalmente é um porre mesmo para ler, principalmente quando te enfiam um Parnasianismo logo de cara e voce mal sabe ler. Esse tipo de conduta no ensino da leitura que só afasta quem ta aprendendo. De que adianta colocar uma pessoa que mal sabe ler o nome para ler uma coisa sem pé nem cabeça. Antes de caminhar nos engatinhamos, antes de engatinhar nossas costas tem que enrijecer. Aprendizado é isso, enteder as necessidades de cada fase e função dos Educadores.
Querer colocar um monte de leitura de "alto nivel" para quem mal sabe ler resulta em desinteresse total.

Anônimo disse...

Entendi e respeito a sua opinião... devo confessar que na adolescência esse tipo de literatura é realmente entediante. Talvez também pela falta de criatividade ou atualização dos mestres, por continuarem insistindo nos clássicos que em nadica interessam nessa fase, causando assim reações como a sua... o efeito desastroso da aversão. É a imposição da "cultura".Já devia ter sido atualizada, modernizada, como algo que acompanha a mudança dos tempos... aparentemente essa cultura literária está sendo imposta como tradição. Como se não houvessem boas obras nacionais mais interessantes e que produzem o efeito esperado... o gosto pela leitura. Acredito que os clássicos são imcomparáveis... mas que devem ser introduzidos numa outra etapa da educação...Lí alguns no ginásio por imposição, e demorei muitos anos para realmente me apaixonar por eles, o que aconteceu com a maturidade naturalmente. Que me desculpem os fanáticos nacionalistas, existe um tempo adequado pra todas as experiências... Machado de Assis no ginásio é toco!!!

Jacqueed disse...

Vcs são muito zé arruelas o cara apenas se expressou mal. Ele apenas quis dizer que o que ensinam na escola é chato e que como a primeira impressão é a que fica acabamos por não ler mais nada. O blog é duca continua duca e será sempre duca.

who? disse...

Eu concordo com o Raad. Nã tem muito que salva na literatura classica brasileira.

FiliPêra disse...

@Velho da Montanha e Rafael...

Entendo a crítica de vocês com relação a número X qualidade. Nossa linha editorial sempre foi priorizar textos opinativos mais longos e elaborados, mas, ao mesmo tempo, precisamos crescer (ou precisávamos, creio que dentro do modelo que estamos hoje, já crescemos o que gostaria). Ter mais atualizações é uma dessas características, pois indexadores dão prioridade para blogs mais atualizados. E por isso estabelecemos uma média de 3 textos diários. Também gostamos de atingir vários públicos, que, atraídos por textos menores (que geralmente são os mais linkados em outros blogs), acabam nos conhecendo.

Mas enfim, cada autor tem o seu perfil. Eu não sou muito fã de textos curtos (e de blogs que se baseiam nesse tipo de post), mas outros o são, e o fazem bem. A nossa política é balancear textos mais curtos - que puxam para o lado mais noticioso, de curiosidades, ou gadgets - com textos mais elaborados. Mais ou menos como duas das minhas revistas favoritas: a Wired e a Vanity Fair.

A primeira é uma bíblia pra quem gosta de tecnologia, e faz os melhores comentários sobre o impacto da tecnologia na sociedade. A segunda parece uma revista de celebridade como uma Caras da vida, mas possui uma das melhores seções de arte, cultura e política dentre as revistas americanas. Foi ela, inclusive, a primeira a noticiar a farsa das armas de destruição em massa do Iraque, após mandarem dois repórteres para lá.

Enfim, só quis dizer que crescer, infelizmente também envolve errar. Tanto crescemos que em breve lançaremos nossa primeira publicação impressa. Mas falar que alguns de nossos textos sãp vazios só porque são curtos é cair no mesmo erro de generalização.

Obrigado pelas observações...

Akira Mistika disse...

Achei um pouco demais o post. Tudo bem que não sou fã de obras nacionais e concordo que algumas não são lá grnades coisas, mas também foi um grande exagero dizer que em sua totalidade as obras nacionais são "um pé no saco".
Faço das palavras do "Gringo" as minhas.
Um abraço a todos...

Lucas disse...

E u sempre digo isso: gosto não se discute.

Conheço varias pessoas que concordam com toda essa opinião.

A maioria dos meu colegas e amigos odeia a literatura brasileira porque tem pouca experiencia com ela e a pouca experiencia fi extremamente frustrante.

Como devemos esperar algo de bom de uma literatura se aqueles que começam o nosso contato com ela nos fazem ler coisas como Olho de Vidro? Para todos aqueles que acham que a literatura deve ser atraves de "palavras dificeis", tameticas historicas, ou passagem sem tempero eu so tenho uma coisa a dizer: não imponha aos outros a sua opinião. Não faça com que algo que não gostamos atualmente torne-se no futuro um motivo de raiva ou trauma porque voce que que gostemos das mesmas coisa que voce, nossa cabeça e nosso pensamento pertense somente a nós

A ideia geral do post ficou perfeita (para mim obviamente) e retrata fielmente o que penso: salvo um entre dez mil todos os livros brasileiros são chatos, entediantes, e não possuem um enredo inteligente.

Não gostou da nossa opinião? Faça algo para muda-la, de uns bons exemplos da nossa literatura que realmente te agradam e que possa nos agradar também.

gabriel disse...

Acabei de ler o cortiço,puta de um livro chato e detestavel.Li "Dom Casmurro" e ate hoje nao entendo pq foi escrito(dever ter sido para mostrar como escrevia bem o Machado de Assis).Li romances romanticos,e nenhuma salvo,e que nem assisti novela,so que vc tem que paga...

Michelle disse...

Oração da invocação para amarrar alguém.
(SIMPATIA INFALIVEL , PORÉM NÃO SE PODE VOLTAR ATRÁS )
Pelas forças do trovão que minha imagem entre em seu coração para que nunca mais este diga não. Fazei com que (AM.)sinta uma reação por mim. Hó grande universo trazei para mim(AM.) Assim como o galo canta ,o burro rincha, o sino toca, a cabra berra, assim tu(AM.)has de andar atraz de mim, assim como o sol aparece a chuva cai, fazei que(AM.)seja dominado por mim, preso debaixo do meu pé esquerdo. Com dois olhos te vejo e com tres prendo com meu anjo da guarda, peço que (AM.)sinta minha falta, ande atrás de mim como uma cobra rastejante, que me ame loucamente e que sinta desejos só por mim, que não consiga olhar com desejos para nenhuma outra mulher que não seja eu. Que atenda todas as minhas vontades, que nunca me faça sofrer, que durma e acorde pensando em mim e que sempre me tenha em seus pensamentos e que não consiga viver sem mim e que seja carinhoso e romântico comigo. Que assim seja vai vir atrás de mim rastejando, humilde , manso para que possamos ter bom convívio e assim sermos felizes. Peço isso ao infinito poder do universo que o meu amor me procure ainda hoje. Peço isso ao do trovão que leve agora a minha imagem para dentro do seu coração para que o meu amor sinta uma enorme emoção. Ao se lembrar de mim passe por uma transformação e que possamos juntos ter uma comunhão e que meu amor sinta um desejo por mim tão forte como um leão. Amém!!!
Quando acabar de ler publique esta oração e terás uma linda surpresa

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo