segunda-feira, 5 de março de 2012

Avatar FiliPêra

Um adeus formal… e um convite

 

image

Como todos vocês devem saber, a Mob Ground já é uma realidade. De uma revista física, se transformou em um portal com artigos de primeira e muitas ideias na cabeça. Já escrevemos sobre games, cinema, cultura da Internet, cobrimos eventos e ainda estamos preparando muito mais. Encare como uma espécie de NSN 2.0 que ainda está em fase beta, com equipe maior, mais participativa e mais diversidade no conteúdo.

Creio que é o caminho natural que deveríamos seguir. E bem, agora o seguimos. Nesse âmbito, muitos devem estar se perguntando o que acontecerá com o NSN. Será soterrado, aposentado ou simplesmente descontinuado? Bom, ele não será mais o mesmo, isso não é difícil dizer. Mas já estamos trabalhando em um local especial dentro da MOB que substituirá o que foi o Nerds Somos Nozes nesses mais de quatro anos de trajetória.

Em primeiro lugar, iremos migrar pra MOB os melhores textos que já publicamos aqui… o que não é pouco. Creio que pelo menos uns 300 artigos que escrevemos nesse espaço merecem mais destaque, seja os da coluna Glaspost, as resenhas de filmes, os artigos sobre música, sobre contos de fadas, lendas urbanas e assim vai. Tem coisa pra cacete, e vamos remixa-los e republica-los sem dó, porque não iremos migrar TUDO que está aqui.

E depois criaremos outro NSN, que vai concentrar notícias (por exemplo: já viram que Chaves está disponível no YouTube?) e outros textos mais dos bastidores do nosso portal, como toda a história mais detalhada que envolveu a criação da revista (temos páginas prontas, por exemplo, e outros arquivos com inspiração, além de textos para estimular a mente de nossos próprios autores). Boa parte disso se tornará público. Também quero criar uma seção de textos jornalísticos fodas nacionais, como anunciei AQUI. Tô reunindo material e quando estreamos o novo NSN, já terei coisas prontas, creio.

Resumindo, é isso. Isso foi só pra anunciar que ESSE espaço do NSN morreu. Nós não o atualizaremos mais, mas ele ficará eternizado na web, enquanto o Google mantiver o Blogger. Quem está inscrito nos feeds do NSN receberá o feed da MOB a partir de amanhã. A URL nerdssomosnozes.com passará a ser redirecionada pra MOB na terça também, mas os textos que estão aqui estarão disponíveis através do nosso antigo endereço, com blogspot. Jamais fecharei esse espaço por completo. Ele estará aqui, vivo, e receberá muitos comentários ainda, tenho certeza.

Foram quatro anos e meio que valeram muito a pena. Nesse período Eu entrei na faculdade, me formei, me mudei para São Paulo e comecei a trabalhar onde sempre quis: numa revista e num portal de videogame. Agora vamos definitivamente para uma nova fase.

Obrigado a todos que engrandeceram nossa jornada. Adeus, nos vemos no Paraíso dos Insanos!

sábado, 3 de março de 2012

Avatar Colaborador Nerd

[Pipoca e Nanquim] Robert Crumb

 

108 - Robert Crumb - Pipoca e Nanquim por pipocaenanquim no Videolog.tv.

Salve, salve internautas!

Sexta-feira é dia do videocast mais franco, informativo e descontraído do Brasil!

Celebrando a inesquecível marca de 108 programas, Danielzinho Lopes e Bruno Drago voltam às já desgastadas cadeiras brancas e batem um papo sobre o genial Robert Crumb, o mestre dos  quadrinhos undergroud.

Depois de romper todos os paradigmas da indústria de quadrinhos na década de 60, não houve quem calasse o cara, que aliás, sempre teve muito o que expressar, pois se existe uma coisa inerente em Crumb, é sua sinceridade pungente. Em obras de personagens fictícios como Fritz, the Cat, Mr. Natural ou em suas auto-biografias, ele crítica todo o american way of life sem medo de ser reprendido.

Sempre cáustico, polêmico e  muito engraçado, garantimos que  é uma delícia ler Crumb! Se ainda você ainda não experimentou, aperta o play agora, anota as dicas e corra atrás. Mas cuidado, depois de provar, há grande chance de viciar. Não conte aos seus pais!

Adiós!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Avatar Colaborador Nerd

[Pipoca e Nanquim] Sandman: parte 2

 

Pipoca e Nanquim 106 - Sandman: Parte 2 por pipocaenanquim no Videolog.tv.

Olá a todos!

E eis que em época de Carnaval, festa e folia, todos voltamos a sonhar com dias melhores (SONHAR, entendeu? - he-he-he). É isso aí, galera. Nesta semana, conforme prometido, trazemos a segunda parte do especial com Sandman. Quê? Não assistiu a primeira? Pô, então clica aqui, assista, e depois nos falamos.

Mas, se você já tiver visto, bem-vindo de volta e vamos ao que interessa. A série Sandman rendeu muitas filhotes que se espalharam pelas bancas, livrarias, comic shops (e nossas prateleiras), algumas bastante convincentes. Se nenhuma delas se aproxima da genialidade da HQ original, ao menos rendem bons momentos, além de uma oportunidade de rever alguns velhos conhecidos do Sonhar.

Algumas de nossas sugestões são Caçadores de Sonhos e As Fúrias, relançadas recentemente pela Panini em capa dura, as histórias de Lúcifer e até do Merv. Tem muita coisa para se divirtir, caso você seja órfão de Sandman.

Bom, por enquanto é isso. Cuidado com o que você vai aprontar na avenida (ou onde quer que esteja), não beba e dirija (é sério) e esteja de volta aqui na próxima semana.

Grande abraço a todos!

LINK PARA PROMOÇÃO DE CARNAVAL DA COMIX
TOP 20 MELHORES QUADRINHOS DE 2011

QUADRINHOS INDICADOS

Sandman - Orpheus (Brainstore)
Morte (Conrad)
Sandman Apresenta - As Fúrias (Panini)
Sandman Apresenta - Os Caçadores de Sonhos (Panini)
Sandman - Os Caçadores de Sonhos (Conrad)
Destino - Crônica de Uma Morte Anunciada (Tudo em Quadrinhos/Metal Pesado)
Os Pequenos Perpétuos (Brainstore)
The Dead Boys Detectives (Conrad)
Morte - A Festa (Conrad)
The Dreaming - O Fator Goldie (Metal Pesado)
The Dreaming - Estranha Paixão (Tudo em Quadrinhos)
The Dreaming - O Garoto Perdido (Tudo em Quadrinhos/Metal Pesado)
Lúcifer - A Opção Estrela-da-Manhã (Brainstore)
Lúcifer - Cartas na Mesa (Brainstore)
Lúcifer - Nirvana (Opera Graphica)
Merv Pumpkinhead - Agente dos Sonhos (Opera Graphica)
Vertigo (Mix Mensal) - A Tessalíada e Casa dos Mistérios (Panini)
Sandman - Noites Sem Fim (Conrad)
Love Street (Brainstore)
Os Livros da Magia (Abril)
Quando Meu Pai Se Encontrou com um ET Fazia Um Dia Quente (Quadrinhos na Cia.)
O Alfabeto Perigoso (Rocco)

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Avatar Colaborador Nerd

[Pipoca e Nanquim] SANDMAN (!!!!!!)

Por Pipoca e Nanquim

 

105 - Sandman: Parte Um - Pipoca e Nanquim por pipocaenanquim no Videolog.tv.

Olá a todos,

Sejam benvindos a esta sexta-feira especial com grande parte da comunidade nerdística (existe essa palavra?) de São Paulo de ressaca por conta da Campus Party. Nós, do Pipoca, comemos bola, mas prometemos que no ano que vem, marcaremos presença com gol de placa. E, como promessa é dívida, está na hora de cumprir algo que já estava sendo falado a bastante tempo: um videocast especial de Sandman, uma das obras máximas das HQs. E, como um é pouco, faremos dois programas, portanto aguarde para a semana que vem a Parte 2, com spin-offs da série.

Bem, o que pode ser dito de Sandman que ninguém ainda falou? Muito pouco, é verdade. Com tantas comunidades destinadas ao quadrinho, discussões em fóruns e fãs viciados na mitologia criada pelo escritor Neil Gaiman, é difícil trazer algo novo. Ainda assim, por mais incrível que pareça, tem gente que ainda não leu essa obra prima (claro, tem gente que não leu Crime e Castigo até hoje, então...).

Sendo assim, esta é nossa singela homenagem a esta espetacular HQ, que está sendo relançada em formato de luxo pela Panini e merece ser conhecida e se destacar na estante de qualquer fã que se preze.

Grande abraço e bons sonhos!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Avatar FiliPêra

Dêem boas vindas ao portal Mob Ground

 

capa mob ground

Quando vocês lerem isso já terá estreado nosso mais ambicioso projeto: a Mob Ground. O parto foi difícil, as idas e vindas foram várias e não foi fácil colocar o portal no ar, mas nós conseguimos - apesar de tudo estar numa fase meio beta ainda. A MOB é a evolução básica do NSN: mais profissional, com mais artigos de qualidade, mais conteúdo agregado, mais ativo nas redes sociais - e quem sabe com uma revista física gratuita em breve. A equipe está mais ampla e mais louca, por isso tenho certeza que dará certo.

Começamos com alguns textos legais e outros que nos apresentam. Tem MUITO mais a vir, em nossos arquivos e nossos planos. É um projeto para longo prazo - se o NSN que veio a luz do dia sem nenhum planejamento teve uma trajetória de 4 anos de sucesso, imagine a MOB, com esse parto gigantesco.

Bom, não vou me alongar muito por aqui. Expliquei pormenores já na nossa nova casa, inclusive o futuro aqui do NSN, que a partir da semana que vem terá seus principais textos migrados para lá, mesmo caso do domínio, que será redirecionado para a MOB.

Abraços e curtam a viagem.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Avatar Colaborador Nerd

[Pipoca e Nanquim] História do Brasil

Por Pipoca e Nanquim 

 

104 - História do Brasil - Pipoca e Nanquim por pipocaenanquim no Videolog.tv.

Olá, pessoal!

Dia 30 de Janeiro foi comemorado o dia do Quadrinho Nacional, para celebrar a data gravamos esse programa falando somente de quadrinhos sobre a história do país. Opa, mas espera aí, nada de livros teóricos de história nas mãos, não se engane, falamos de excelentes quadrinhos que contam ou são ambientados em algum período e lugar da história desse nosso Brasilsão! Trouxemos um monte de publicações de primeiro nível: Chibata!, O Cabeleira, Sertões: A Luta, Caatinga, Estórias Gerais, entre outros!

Além disso, mais uma promoção rolando! Pois é, o Pipoca e Nanquim é foda! “Seria alguma coisa do nível daquela do programa 100, repleta de pacotes de parceiros??”. É claro que… não. Na verdade, trata-se mais de uma brincadeira que queremos fazer junto nossos espectadores e em troca separamos um pequeno presentinho. Clique no play e assista até o final para saber do que estamos falando!

QUADRINHOS INDICADOS
Brasil 1500 – Segredo de Estado (Devir)
Crônicas da Pindahyba (Independente)
O Cabeleira (Desiderata)
Os Sertões – A Luta (Desiderata)
Chibata (Conrad)
Os Brasileiros (Conrad)
Adeus, Chamigo Brasileiro (Cia. das Letras)
Fawcett (Devir)
Caatinga (Globo)
Estórias Gerais (Conrad)
O Curupira (Pixel Media)
Corto Maltese Vol.02 – Sob o Signo de Capricórnio (Pixel Media)
Jubiabá (Quadrinhos na Cia.)
Jambocks – Parte 1 – Prelúdio para a Guerra (Zarabatana)

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Avatar Colaborador Nerd

[Pipoca e Nanquim] Desastres Naturais

Por Pipoca e Nanquim 

 

103 - Desastres Naturais - Pipoca e Nanquim por pipocaenanquim no Videolog.tv.

[Nota do editor: como estamos numa correria bem louca aprontando as coisas pra Mob Ground ir ao ar - dia 8, também conhecido como próxima quarta-feira, essa bagaça vai estar no ar - deixamos passar o Pipoca e Nanquim, e como resultado vocês verão dois hoje… se é que já não viram]

Olá a todos!!!

Mas hoje não é um dia maravilhoso? Sim, definitivamente é um dia maravilhoso, afinal é hoje que 13 (treze) felizardos irão levar para casa os presentes de Natal atrasados, enviados pelo Pipoca e Nanquim e seus parceiros. Então, tá esperando o quê? Clica no vídeo!!!

Ah, sim, claro. Você quer saber sobre o tema de hoje, não é? Pois bem, resolvemos fazer uma seleção de catástrofes e desastres para ver se alguma coisa se salva no bolo. Bom, no final das contas, a galera estava até achando 2012 um filme bom, então já dá para sentir o drama! Mas ainda assim dá para lembrar de um ou outro bom momento, como a HQ Dark Rain, da Vertigo, ainda inédita no Brasil e o excelente filme Melancolia.

Bom, agora, sim, corre para o clique e descubra se você vai dar alguma pirueta nos próximos trinta minutos e sapatear na sua sala de estar (mais tarde atualizamos aqui com os nomes, por enquanto queremos deixar a surpresa de descobrir assistindo).

Atenção: Se você foi um dos ganhadores entre em contato conosco passando nome completo e endereço para envio até dia 03/02!

Abração e até a semana que vem!!!

QUADRINHOS INDICADOS
Batman – Terremoto (Abril)
Dark Rain (Vertigo Crime/Inédito no Brasil)

FILMES E SÉRIES COMENTADAS (no caso desse tema, nem todos são indicados)
2012 (2012, 2009)
O Dia Depois de Amanhã (The Day After Tomorrow, 2004)
Treme – 3 Temporadas (Treme, 2010)
Twister (Twister, 1996)
Quadrilogia Aeroporto (Airport, 1970, 1975, 1077, 1979)
Terremoto (Earthquake, 1974)
Inferno na Torre (The Towering Inferno, 1974)
São Francisco – A Cidade do Pecado (San Francisco, 1936)
O Inferno de Dante (Dante’s Peak, 1997)
Volcano – A Fúria (Volcano, 1997)
Os Últimos Dias de Pompeia (The Last Days Of Pompeii, 1935)
Os Últimos Dias de Pompeia – 1 Temporada (The Last Days Of Pompeii, 1984)
Vida e Nada mais e a Vida Continua (Zendegi Va Digar Hich, 1991)
Impacto Profundo (Deep Impact, 1998)
Armageddon (Armageddon, 1998)
Melancolia (Melancholia, 2011)
Tubarão de Malibu (Malibu Shark Attack, 2009)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Avatar Colaborador Nerd

[Pipoca e Nanquim] Warren Ellis

Por Pipoca e Nanquim 

 

102 - Warren Ellis - Pipoca e Nanquim por pipocaenanquim no Videolog.tv.

Olá a todos! Sejam bem vindos a mais um videocast do Pipoca & Nanquim.

Hoje falaremos sobre a carreira de um brilhante roteirista que fez parte da segunda leva de escritores britânicos que invadiram os comics americanos: Warren Ellis. Em mais um exemplo de ame-o ou deixe-o, Ellis produziu ao longo de sua prolífica carreira obras pessoais como TransmetropolitanFrequência Global, o rompedor de paradigmas The Authority, períodos conduzindo heróis das grandes editoras norte-americanas, Marvel e DC. Mas, sem sombra de dúvida, sua grande obra-prima é a sensacional Planetary, HQ que ainda carece ser lançada no Brasil de forma apropriada.

Falamos um pouco sobre as principais obras deste escritor e damos dicas de como você deve começar a ler sua obra (e até do que fugir). Esperamos que vocês gostem e vale lembrar que tem uma mega-promoção rolando. Se você ainda não está participando, saiba que seu prazo vai ficar cada vez mais curto !!!

Grande abraço e até a semana que vem!

Avatar Beatriz Paz

The Zelda Project – Cosplay level asian só que nos EUA

 

clip_image002

Que os Otakus e Fujoshis (termo feminino pra mulheres e garotas fãs de anime) fazem cosplay todo mundo sabe, alguns nem tentam, outros chutam o pau da barraca, ou no caso fazem o famoso Cospobre, alguns se vestem do gênero oposto, ou Crossplay, prática que já teve post aqui no NSN e que eu também faço de vem em quando e tem aquela galera que não sabe brincar.

Qualquer um que já tenha jogado algum anime que curte no google certamente achou um cosplay tão incrível que até bateu depressão porque não dá nem pra competir com a qualidade e feitio da fantasia. Num termo de internet ele seria o Cosplay Level Asian. Quer entender melhor, jogue qualquer anime no google, com certeza vai ter algum cosplay japonês pra sambar na sua cara e na cara da sociedade otaku/fujoshi.

Exemplos:

Rune de Balron, Cavaleiros do Zodíaco

 

Cavaleiros de Ouro e a Deusa Atena, Cavaleiros do Zodíaco

 

Shurato

FLCL

 

Já deu pra ter uma ideia certo? Pois então, a equipe formada pelo fotógrafo Indigo Verse, sua assistente Aimee (Ou SeptemberSky como é conhecida na net), a técnica em efeitos visuais Julia Starr, a idealizadora/cosplayer/responsável pelas fantasias Sarah Quillian (ou Adella), o ferreiro Arron Granofsky, a maquiadora Joellen Elam (ou Lillyxandra) e a artista conceitual Lindsey Alvord formam o Zelda Project. Um dos grupos de cosplay mais embasbacante que eu já cheguei a ver.

A ideia partiu de Adella, desde pequena ela era fã das aventuras de Link por Hyrule, seu sonho sempre foi fazer algum projeto relacionado com a série e como começou a fazer cosplay, uniu o útil ao agradável e o resultado são sessões de fotos de cair o queixo.

Eu já fuçei o site todo e mal posso esperar para que as fotos do Templo de Fogo sejam postadas e um adiantamento para as she-nerds e nerds cueca interessados no assunto, o cosplayer, gamer e modelo que interpreta o Link, Anthony (Ou Lune) é uma gracinha!

 

Site oficial do Projeto

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Avatar Felipe

Killzone 3

 

image

Antes de mais nada, um resumo dos acontecimentos até o momento pra quem nunca jogou Killzone. O planeta Helghan foi invadido pelas forças ISA, do planeta Vekta, que achavam que os Helghasts estavam praticamente derrotados. Porém, eles tinham armas de destruição em massa extremamente poderosas. Para acabar com a guerra, a ISA deveria capturar Visari, o líder do planeta. Infelizmente, um dos soldados não se conteve e o matou, fazendo com que os Helghasts jogassem uma bomba nuclear em uma de suas próprias cidades para derrotar os ISA. Foi mais ou menos isso que aconteceu no segundo jogo da série.

Killzone 3 começa meio devagar, com uma cena que se passa seis meses depois do segundo jogo da série e que, estranhamente, coloca o jogador no comando de um Helghast. Não demora para percebermos que se trata de um soldado da ISA disfarçado que está em uma missão de resgate. Essa sequência inicial na verdade só serve para ensinar os comandos básicos aos novatos e dar um spoiler do que vai acontecer muito mais à frente do jogo.

Após passar por esse “treinamento”, a preocupação com os novatos desaparece e o jogo volta seis meses no tempo, para o momento logo depois que Rico Velasquez assassinou Visari à sangue frio. E aí a ação começa pra valer e não para mais. Enquanto no Killzone 2 os soldados da ISA estavam em vantagem na maior parte do jogo (até as coisas se inverterem perto do final), em Killzone 3 a coisa é diferente. O sargento Sevchenko (Sev) e seus companheiros agora estão atrás das linhas inimigas e precisam dar um jeito de sair do planeta antes que sejam todos mortos.

Essa sensação de estar em terreno inimigo fica clara desde o início, com hordas de inimigos sendo enviadas pra cima do jogador sem que o mesmo tenha muito tempo pra pensar. Mesmo na dificuldade normal, o nível de desafio é grande e quem nunca jogou um game de tiro vai penar bastante. Parte desse aumento na dificuldade se deve à inteligência artificial aprimorada de Killzone 3.

 

image

Enquanto no segundo jogo era comum ficar algum tempo atrás de alguma barreira pensando no próximo movimento, isso pode se mostrar fatal nessa continuação. Os Helghasts agora percebem quando os tiros cessaram por muito tempo e avançam até onde o jogador está escondido. E, como não são burros, eles sempre vão em grupos. Além disso, os inimigos estão mais resistentes, talvez tanto quanto o jogador, o que deixa os combates muito mais estratégicos. Fora que os Helghast agora têm a péssima mania de ficarem bastante tempo escondidos atrás de barreiras, exatamente como os jogadores.

Outra excelente novidade em Killzone 3 são os cenários muito mais variados do que no game anterior. Desta vez, além de invadir estruturas inimigas, os jogadores vão passar por cenários como desertos, campos cobertos de neve e florestas. Aliás, o cenário da floresta apresenta um novo elemento para a série: a furtividade. Nesta parte, é preciso que o jogador elimine os inimigos sem ser avistado, pois os soldados Helghasts que estão por ali são muito superiores e podem matar o jogador em questão de segundos. E matar alguém no corpo a corpo nunca foi tão divertido, podendo o personagem quebrar o pescoço inimigo, cortar a garganta ou enfiar uma faca no olho do pobre infeliz.

Com os novos cenários, também aumentaram o número de fases a bordo de veículos. Além do exoesqueleto, os jogadores podem atirar a bordo de naves, tanques e uma espécie de moto que só anda na neve. Além disso, novos equipamentos também estão disponíveis, sendo os mais divertidos o jetpack e uma arma que desintegra o inimigo atingido e outros que estejam por perto dele.

A apresentação do jogo está ainda melhor do que em Killzone 2, com gráficos sensacionais e cenas de ação de tirar o fôlego e que poderiam estar presentes em qualquer grande filme de Hollywood. Destaque para a cena em que Sevchenko e o capitão Narville estão defendendo o acampamento da ISA. A única crítica quanto aos gráficos do game fica por conta do cabelo dos personagens, que não apresentam nenhuma movimentação e naturalidade. Não é à toa que todos os protagonistas possuem cabelos curtos.

Felizmente, a diversão de Killzone 3 não termina após o fim do jogo, graças ao seu excelente multiplayer, que divide os jogadores entre as facções ISA ou Helghast. São três modos de jogo: Guerrilha, Operações e Zona de Guerra. O primeiro é bem simples, basta matar o adversário e vence a equipe que matar mais. Em Operações, os ISA e os Helghasts lutam para dominar certas áreas do cenário e acumularem pontos com isso. Existem até algumas cenas no começo de cada missão, com o comandante dando as instruções. Porém, o modo mais divertido é o Zona de Guerra, no qual os objetivos ficam mudando o tempo todo. As missões vão desde colocar cargas explosivas na base inimiga, até assassinar um alvo específico ou eliminar quantos adversários forem possíveis no tempo estipulado.

 

image

Antes de entrar em cada missão, o jogador deve escolher entre cinco classes: Infiltrador, Tático, Médico, Engenheiro e Atirador de Elite. Cada uma com suas vantagens próprias. O Infiltrador possui a habilidade de se disfarçar como o inimigo e se esconder na própria base deles. Em níveis mais avançados é bem difícil perceber o disfarce. O Tático pode capturar certas áreas para que os jogadores ressurjam ali, além de marcarem temporariamente a posição dos inimigos no mapa. O Médico cura os outros jogadores (óbvio). O Engenheiro, além de consertar caixas de munição que podem ser usadas pela equipe, também pode construir metralhadoras que atacam automaticamente os inimigos. O Atirador de Elite consegue se camuflar com o ambiente, além de possuir a habilidade de não aparecer no radar adversário.

Como se não bastasse ser um jogaço, Killzone 3 é mais um a receber legendas e áudio em português brasileiro. Porém, é uma pena que a Sony tenha escolhido realizar o trabalho de dublagem nos EUA, ao invés de utilizar algum estúdio brasileiro para o serviço. Enquanto personagens como Sevchenko e Rico estão apenas ok, outros como o capitão Narville estão com vozes abaixo da média. Não é raro a ação estar rolando solta e o personagem falar com uma voz que não apresenta emoção alguma. Fora os termos em inglês que podem ter mais de um significado e que acabam sendo traduzidos erroneamente. Como a expressão “got it”, em determinado momento, Rico diz “consegui”, quando o que faria mais sentido na situação seria “entendi”.

Mesmo com esses pequenos problemas na dublagem, Killzone 3 ainda vale a pena ser jogado em português, nem que seja apenas uma vez. Por mais que eu entenda inglês, nada substitui a língua materna, principalmente em um jogo que sempre tem alguém gritando ordens o tempo todo. Poder ouvir essas ordens na sua própria língua, sem se preocupar em ler as legendas é gratificante. Fica a torcida para que os próximos games traduzidos possam ser dublados por estúdios profissionais aqui do Brasil.

 

Killzone 3, 2010 (PlayStation 3)

Produção: Sony

Desenvolvimento: Guerrilla Games

Nota: 9


Layout UsuárioCompulsivo